sábado, 11 de junho de 2011

Auto Flagelo e Depressão.

Eu andei pensando... pensando em colocar coisas úteis, e realmente úteis no meu blog. O que seria algo útil, interessante e bacana. Logo vi, que alguns dias da minha vida são legais, e, pensei que seria bastante interessante colocá-los aqui.
Eles vêem de vez em quando, aparecem, vão embora, me deiam sozinha um belo tempo e voltam quando a saudade aperta e as lágrimas já acabaram. Coisas que acontecem e são tão comuns ou não, no dia a dia de pessoas "normais" ou não.
Não estou pensando em falar como foi meu dia, onde fui e com quem fui. Na verdade nem eu não sei o que escrever e colocar aqui, só estou pensando realmente em tentar ser útil, e assim começarei, falando um pouco sobre a auto-mutilação e depressão, ao meu ponto de vista.



Depressão.
Ela aparece e te deixa louco. Quando tu tiveres depressão, tu saberás exatamente o que é, pois ela vem e te derruba. Quando tu não queres sair mais da cama ou do quarto, queres trancar a porta e jogar a chave fora, apagar a luz e esperar até que esqueçam quem tu és, até que tu tenha os pés no chão para começar de novo, fazer a vida valer realmente a pena. Mas o real problema, é que esse dia nunca chega, e tu te cansa de esperar, e começam outros problemas em casa, que te deixam mais pra baixo ainda. Vão aparecendo problemas e problemas, e teu psiquiatra quer que tu te esforces sozinho para atingir felicidade e bem estar, mesmo ele sabendo que teu problema está dentro de casa, e não existe como relaxar.



Auto Flagelo.
Sempre você começa com um cortezinho, pequeno, que sangra pouco. Eu mesma, comecei me enfiando agulha de costura. Bobeiras a parte, tu começa a depender desse pequeno cortezinho, pra acordar e levar o dia na boa. Então tu vai ver, que aquele furinho ou cortezinho, não estão fazendo efeito, e tu precisas de mais e mais. O meu caminho foi, tirar a lâmina do apontador (que corta pra caralho), e esperar até que seja noite plena, para cortar e cortar, deixando marcas ainda pequenas. Quando tu enjôas da lâminazinha, tu começas a destruir os aparelhos de barbear do teu irmão ou pai, e descobre que ali saem cortes finos e que sangram bastante, e isso te faz lembrar vidros. Tu quebras sem querer um copo, junta uns cacos e usa como ferramenta. E o ponto alto do auto flagelo, é quando tu sai percorrendo a cidade inteira, a procura de lâminas de gilete. E descobrem que elas fazem um belo estrago na pele, sangram demais e podem abrir grandes e belas bucetas (corte fundo e grande) no teu braço, perna ou sei lá onde tu fazes isso. Quando tu enxergas que teu braço não suporta mais nenhum corte, tu pensas em parar, mas normalmente tu continuas fazendo algum corte de mês em mês.


Depressão & Auto Flagelo.
É, já não basta a dor que a depressão causa, tu ainda descobre a auto-mutilação na mesma época. É triste, é trágico. Você resolve se trancar no quarto e deitar na cama, com os braços sangrando, a dor maior que tu consegues sentir, que faz as lágrimas cessarem. Tu vai descobrindo que não tem nada mais a fazer na terra, e resolve se entocar e destruir os braços e pernas com a lâmina do apontador. Com o tempo, tu vê que as pessoas te ignoram, e que apenas a sua querida auto-mutilação não se separa de ti. Tu olhas aquelas marcas e cicatrizes, sente orgulho e amor por aquilo que fez. Foda, é quando tua mãe descobre onde tu guardas as lâminas, as tira de ti, e tu tens que comprar mais, e, até não conseguir ir ao centro da cidade, tu vai encontrar algum objeto, pois sempre sobram os bons e velhos cacos de vidro que nunca perdem o fio. Seu psiquiatra quer que tu pares, e te manda vários remédios para te dopar, sua mãe quer que tu pares, mas nunca olha teus braços e nem te condena a uma perda quando tu o faz.
É nesse momento, que aparece um filho da puta que consegue te fazer parar, mas não percebe por si só. Essa pessoa se afasta de ti, depois de te colocar na parede e te dar a maior e mais sincera bronca para parar de se cortar. Depois de fazer, faz exatamente igual seu psiquiatra ou sua mãe, simplesmente não se importam. E as pessoas que andam ao teu redor, tu facilmente escolherás teu vício perigoso a elas, por mais próximas que elas pensam estar de ti. E tu sabes, que nunca irá parar com isso, até que esse filho da puta apareça e tenha uma bela conversa contigo.

2 comentários:

  1. Faço minhas as suas palavras, o seu pior inimigo irá falar '' calma ta td bem '' e o seu melhor amigo vai te escutar e nao vai falar absolutamente nd.

    ResponderEliminar